8/24/2009

Pronto... ok.

Tenho-me desleixado um pouco com o blogue porque isto não há tempo para nada! Mas pronto vou voltar com mais frequência e para abrir o apetite (ou não) aqui fica uma pequena dissertação escatológica, mas que ainda assim parece-me pertinente.
Porque é os homens utilizam as casas de banho públicas. Admiro muito o Papa, admiro o Gandhi, admiro os homens que fizeram o 25 de Abril, mas admiro ainda mais quem tem coragem para, por exemplo, cagar numa casa de banho pública. Primeiro vamos a uma análise fria. Entrar numa casa-de-banho pública masculina é quase como entrar num filme sobre o fim do mundo ou uma guerra biológica onde toda a gente tem de andar de fato de protecção química.

Geralmente composta por três urinóis e quatro “defecatórios”, a casa-de-banho pública masculina guarda os vestígios de ADN dos homens que por ali passaram nos últimos 25 anos, provavelmente dia em que foi limpa pela última vez. Por muito incrível que pareça, existem ainda vários homens que vão à casa-de-banho e a seguir não lavam as mãos usando o maravilhoso argumento de: “para quê? Eu não mijei para as mãos?”

Exacto, mas pelo cheiro que emana nestes locais públicos dá a sensação que não só não mijaram para as mãos como também não mijarem para os urinóis. Fica a ideia de que se limitam a entrar e a urinar feitos malucos para as paredes como que a marcar território, como se alguém entrasse para logo depois: dizer “olha, já cá esteve o meu tio”. Cheguei a ver um homem bem vestido entrar na casa-de-banho, urinar e quando vai sair, sem lavar as mãos, volta para trás. O que me levou a pensar “sim senhor, afinal ia distraído” e realmente ia distraído porque se tinha esquecido de pentear os seus longos cabelos brilhantinados.

6 comentários:

Gui disse...

Bem visto. Por isso é que faço sempre na rua. É mais higiénico. Até mesmo no Bairro Alto.

hug,
gui
(www.ramboiablog.blogspot.com)

Eduardo Ramos disse...

...
Sabias que Euro em Grego significa Urina?... Portanto o senhor devia querer "cheirar a dinheiro"... reparaste se era "um dos" do BPN?

Antígona disse...

Que NOJO!!!
Depois queixam-se que as doenças se propagam demasiado depressa...pudera!

ZpiderZeN disse...

A ideia de fazer numa casa de banho pública já é nojenta e depois correr o risco de não ter papel higiénico, que é o mais certo, ainda é mais nojento. Por isso mais vale apertar até casa ou fazer nas cuecas…

João disse...

Pior mas muito pior é decerto a casa de banho do Barco da travessia Lisboa-Barreiro ou mesmo a casa de banho do comboio-correio que faz o percurso entre o Barreiro e VRSA. Isso sim é nojento. Quando um gajo come uma chispalhada bem aviada e tem de recorrer a uma casa de banho no comboio, os efeitos nocivos são muito piores do que uma simples e inocente casa de banho pública espalhada por esse Portugal fora.

Já agora alguém já mijou nas casas de banho do Casino Lisboa? Considero a mais gay que conheci, pois é espelhada ao longo de todos os urinóis, imaginem agora 4 ou 5 pseudo machos a mijarem e a olhar de lado para o espelhos...Aaaarghhh!!!

Pedro disse...

muito bom!